The Originals 1x13 - Crescent City


A tradicional batalha entre vampiros e bruxas.

The Originals conseguiu nesses poucos episódios de retorno dar uma significativa virada em sua trama. Depois que a storyline da primeira parte da temporada foi meio que encerrada, a história precisava seguir em frente trazendo coisa “nova”. O que está acontecendo não é nada inovador pra quem já acompanhou e/ou acompanha tramas desse tipo, mas no caso não tem muito como fugir disso. Uma série que desde antes de seu inicio já apostava em seus personagens sendo vampiros e bruxas certamente em algum ponto trairia essa batalha que já é tradição se tratando do assunto.

Tenho que admitir que senti certa esquizofrenia no roteiro em certos momentos. Não gostei de alguns cortes, de algumas falas e motivações, ainda mais quando somos bombardeados com figuras tão desconhecidas que não tem a menor familiaridade com o público. Personagens como Sabine/Celeste, Monique (que ressuscitou milagrosamente depois da morte de Papa Lunde) e algumas outras bruxas do French Quarter são detestáveis logo de cara e nos fazem torcer por Klaus, mesmo com toda sua arrogância e vilania muitas vezes sem sentido.

Ao que se vê, as bruxas dessa série são realmente poderosas e conseguem derrotar qualquer vampiro com pouco esforço. Quero ver muito aonde isso vai dar, porque Klaus e Rebekah estão totalmente dominados por elas e só sobrou Elijah pra ser o salvador da vez. Poderia muito bem considerar Marcel para colocar ordem nas coisas, mas ultimamente ele caiu bastante no conceito vampiro hardcore, porque sua única motivação é reviver Davina.

O que me deixa mais irritado é o quanto os roteiristas insistem em colocar Rebekah em situações ridículas. Sempre acreditei no potencial da personagem, mas o que a gente sempre vê é ela sendo babá de Hayley ou se pegando com um avulso qualquer, e isso acontece desde TVD. De inicio já dava para perceber que o tal lobo estava de malícia pra cima dela, mas não a malícia no sentido bom, se é que existe isso, mas acredito que deu para entender o que eu quis dizer. Agora, o pior de tudo mesmo é ter que aguentar esse lenga-lenga de Hayley em querer quebrar a maldição de sua família. E se isso já não fosse ruim o bastante me trazem um lobo prometido à ela só para atrapalhar o romance da loba com Elijah.

Mas nem tudo é reclamação. Se uma coisa que eu admiro no roteiro é a forma que eles não enrolam algumas coisas, mesmo fazendo isso com outras. A tal faca destinada para enfraquecer Klaus já foi utilizada quando eu jurava que isso se arrastaria por mais alguns episódios, talvez a minha decepção seja que os efeitos dela não são tão devastadores quanto eu imaginava que fosse, mas ainda assim a rapidez como tudo foi feito conta pontos positivos.

Já a possível morte de Sophie não me choca, porque além da personagem não ser tão importante ou carismática, tenho quase certeza de que ela estará de volta em algum momento da temporada, assim como acredito na volta de Davina. Agora é só aguardar para saber quando e como isso vai acontecer.

PS: The Originals entrou em um breve hiatus e retorna dia 25 de Fevereiro.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment