Criminal Minds 10x01/10x02 - X / Burn

Não, você não está assistindo a reprise de "Eu sei o que vocês fizeram no verão passado". Sim, você está vendo certo, Jennifer Love - como diria John Mayer - "seu corpo é um país das maravilhas" Hewitt é a mais nova integrante da equipe de profilers da BAU. E não temam, queridos amigos, porque em 30 segundos de aparição, ela falou mais do que a Blake falou na temporada anterior.
 
Logo de cara somos apresentadas a nova personagem e eu devo dizer que logo de cara eu gostei. Kate Callahan não parece ser a Agente convencional, aquela super inteligente que sabe tudo de teoria - ahem, Blake - mas sim alguém que sabe se virar muito bem sozinha. Na realidade, uma versão feminina do Morgan. O que eu agradeço imensamente, já que sinto falta de mais ação na série.
 
Uma preocupação que eu tinha com a entrada da J-Love na série é a mesma que eu tive quando a Elle saiu - lá na segunda temporada - e a Paget Brewster (Emilly Prentiss) entrou. Ela demorou pra se encaixar mas quando aconteceu, foi ótimo. E lembram do drama que aconteceu quando ela e a AJ Cook saíram? Pois é. Após a saída dela, fomos premiados com a Blake, que não conseguiu ter química e nem se encaixar ali, de jeito nenhum (quem acompanha aqui sabe o quanto eu torci pra que ela tomasse um tiro ou caísse de um penhasco ou tivesse o caro explodido). Mas graças ao bom Deus, Kate Callahan é o oposto total da Blake.
 
Tivemos dois episódios relativamente fortes. E se você tem uns 20 e poucos anos, que nem eu, deve ter sentido a sua infância acabar com o primeiro episódio. Primeiro, temos a Julie James armada e com um distintivo - levanta a mão quem achou que fosse aparecer um pescador com um gancho na mão a cada cena noturna; depois tivemos Jack McPhee cheirando pernas de pessoas mortas.
 
Mas continuando sobre os episódios fortes. Uma coisa que durante a série toda sempre me deixou curiosa era o fato da Garcia nunca ter deixado a "escuridão" do trabalho a afetar. Dessa vez, vemos que a Penelope é humana, sim. Claro que o surto se deu ao fato dela ter atirado em alguém - uma cena que eu achei completamente frustrante, porque foi contra tudo o que a personagem representa - e o cara ter sido preso e condenado a morte. Achei sensacional a forma tão Garcia de lidar com a situação. Na temporada passada, ela estava meio apagada, espero que, após esse episódio quase todo focado nela, ela volte com força total.
 
No geral, foram dois excelentes episódios. A química entre a J-Love e o elenco já está completamente dominada, não tenho dúvidas que ela vai se sair bem e o fato de já jogarem uma parte da vida pessoal dela na parada ajudou bastante. Além dessa química, acho que temos uma equipe mais madura. Espero que o desenvolvimento da nova integrante com a equipe continue sendo bem explorada como foi nesses dois episódios e acho também que, o fato da Callahan ter trabalhado na parte de crimes infantis vai acabar a afetando de uma forma ou outra.

Share on Google Plus

About Karina Nascimento

Estudante de Jornalismo, viciada em série, filmes, música e livros. O vício começou em 2000, com Dawson's Creek na Sony e depois disso, só piorou. Completamente órfã de Gilmore Girls e Veronica Mars, no momento acompanha 21 séries e pede para que parem de recomendar séries porque ela precisa de vida própria longe da televisão. (@_kaarii)
    Blogger Comment
    Facebook Comment