Freaks Look: The Affair


E é assim que se faz um piloto, amiguinhos.

Quando a premissa das novas séries foram saindo junto aos detalhes e trailers das mesmas, The Affair, a nova série da Showtime que faz dobradinha com Homeland no domingo, foi sem dúvidas uma das que mais me chamou atenção. Não que sua ideia inicial seja inovadora, afinal, é a história de dois casais e a traição que ocorre entre dois integrantes deles. O que se destaca mesmo é o elenco escolhido, uma lista tão excelente que você não deve e nem pode deixar de conferir atuando juntos. 

A série escrita por Hagai Levi e Sarah Treem (ambos de In Treatment) e dirigida por Mark Mylod, traz Dominic West (The Wire, The Hour) como Noah Solloway, um escritor e professor de escola primária que possui um casamento estável, é apaixonado por sua esposa,  Helen Solloway (Maura Tierney - E.R., The Good Wife) e mantém uma relação saudável e ainda atraente com ela mesmo após tantos anos de casado e de quatro filhos. 

A primeira metade do episódio de 1 hora é uma overdose (excelente) de pequenas histórias a respeito da família Solloway, da qual passados os 30 minutos iniciais nós já sabemos quase tudo. Temos a filha mais velha na vibe rebelde e de drogas for fun, o filho do meio entrando na adolescência e começando a dar mais trabalho. O que foi aquela cena do suicídio fake? Tomei um baita susto. O menino mais novo só serve de pancadas pro irmão mais velho e eu achei muito fofa a cena que ele pergunta ao pai qual o membro da família ele ama menos na esperança que sem pestanejar o pai respondesse o irmão. Pra completar o quarteto tem a fofura da mais nova. Dá pra notar também que Noah é uma espécie de super pai e presente em todos os momentos. A família está de férias e indo mais uma vez pra casa dos pais de Helen sendo que o vovô Bruce Butler (John Doman - The Wire, Gotham) é um escritor famoso que tem seus livros adaptados pro cinema, é super rico e não faz questão nenhuma de não se gabar disso. 

Agora corta. Vamos conhecer a outra metade da história.

Ruth Wilson (Luther <3) é Alison Bailey, uma garçonete que mantém uma vida simples, herdou a casa dos avós e é casada com Cole Lockhart (Joshua Jackson -Fringe, Dawson's Creek). Os dois passam por um momento muito difícil e a relação já não é a mesma após a morte do filho de apenas 4 anos. Cole parece usar o sexo como escape, Alison parece ter uma vontade imensa de conseguir engravidar outra vez e já se preocupa com a idade, apesar de ter apenas 31 anos. Além disso ela não consegue "superar" e seguir a vida como o marido vem tentando e acaba por sentir uma raiva involuntária dele por isso. Conhecemos os dois no dia que seria o aniversário da criança.

Toda a surpresa e dinâmica da série acontece pelo fato de que o episódio de fato é contado entre essas duas metades. Na primeira parte descobrimos como Noah e Alison se conheceram pela visão dele, enquanto que na segunda metade toda a história é recontada agora pela perspectiva dela. E isso faz com que os produtores consigam brincar com nossas suposições e mudar nossa opinião ao longo dos 60 minutos. Assim, por exemplo, enquanto que na perspectiva dele nós não entendemos o motivo dela chorar com o incidente da filhinha dele engasgando, achamos que ela era atirada e que o seu marido era violento e bruto; na parte contada pelos olhos dela descobrimos que ela está em pedaços, que o incidente com a menina a fez lembrar do filho, que ela só queria alguém pra conversar na noite que os dois se viram na praia e que foi ele quem demonstrou mais interesse do que ela. O genial disso é que de fato toda história tem sempre dois lados e nós a recontamos como achamos que ela foi, o que nem sempre pode ser a verdade real.

O mais legal é como a produção faz isso, indo desde os detalhes das roupas diferentes dos personagens até pequenas modificações no rumo da história. Na parte dele, ele quem consegue desengasgar a filha, na dela, é ela quem ajuda. Na parte dele, é ela quem o chama pra acompanhá-la até em casa, que convida pra ver o chuveiro externo e que se insinua constantemente. Na dela, é ele quem se oferece para levá-la até em casa, que se oferece pra verificar o chuveiro e que se insinua.

A cereja do bolo e surpresa final é que os dois, agora no tempo presente, contam essa história na forma de depoimento para um policial que investiga o assassinato de um homem - que ainda não sabemos quem mas já arrisco dizer que é o personagem do Joshua e já sofro antecipadamente -, e isso, de fato, foi surpresa pra mim. Enquanto não mostraram a sala de interrogatório, eu jurava que o Noah estava falando com algum psicólogo ou coisa assim. Além do mais eu não lembro de ter lido que existiria um crime envolvido na história, mas isso torna tudo mais interessante, claro.

Portanto, vão logo conferir a série e definir em qual versão vocês acreditam mais. Em tempos de raridades criativas ter algo tão empolgante e recheado de boas atuações como The Affair é definitivamente algo em que se agarrar. A série estreia oficialmente no próximo domingo (12) e já mencionei que é Showtime e que isso significa nada de economia nas cenas de sexo? Pois é, vai que alguém precise de um incentivo extra...
Share on Google Plus

About Rebeca Barros

Sarah, we make a family, yes? (@bkbarros)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários: