Grey's Anatomy 11x06 - Don't Let's Start


Perdendo o ritmo. 

A décima primeira temporada de Grey's Anatomy começou muito bem levando em conta nossas expectativas diante do direcionamento dado ao fim do último ano. Foi bom acompanhar os primeiros cinco episódios em que as estruturas se mostravam abaladas e a promessa de mudanças eram bem presentes. A chegada de Maggie conseguiu trazer ótimos argumentos para mexermos no passado de Ellis Grey e Richard, consequentemente revirando no psicológico de Meredith. Os problemas conjugais de Callzona também foram pontuais, quando era visível que o casal não funcionava mais e dar um fim nessa relação acabou sendo um alivio para a maioria do público. A dinâmica de a cada semana focar em um drama específico funcionou muito até então. Mas quando o foco do episódio se volta para April e Jackson a situação não continua a mesma. 


O drama do casal é fraco, ainda mais quando se vê que eles não têm um background interessante. Se for para criar alguma coisa, crie algo dramático, porque a situação do casal já havia ficado bem definida na última temporada. Eles estão casados, grávidos e teoricamente suas diferenças em relação a criação do filho já estavam resolvidas. Foi desnecessário trazer a mãe mais irritante das mães que já apareceram para causar algum tipo de tensão na vida da personagem. Não foi bom. Por mais que muita gente defenda April, a realidade é que esse drama a tornou tão irritante quanto antes. Espero esperançosamente que esse assunto não volte mais, pelo menos até o nascimento da criança. 


E se é para desandar, que desande tudo, porque até a história de Maggie não foi interessante essa semana. Sua mágoa com Richard é compreensível, mas trás o pior que a personagem pode oferecer e ele ainda não ajuda com as caras de cachorro abandonado que faz a toda hora. Já o mimimi de Meredith começa a passar do ponto. A meu ver é ou vai ou racha. O casal precisa resolver suas diferenças de vez ou tornar a separação oficial, mesmo que seja para voltarem a ficar juntos muito em breve. Já com Arizona tivemos um pequeno twist com a descoberta de que a personagem da Geena Davis na verdade é uma moribunda. Vejo com isso Arizona se tornando a grande fodalhona do hospital logo assim que ela morrer e quem sabe até mesmo dando adeus a Seattle se por acaso titia Shonda não tiver planos de juntá-la novamente com Callie.


Para finalizar, não poderia faltar o caso do paciente que entra em conexão com a vida dos médicos. Na situação em questão a identificação se encaixou para Owen e Jo. A menina era ex-militar, mas que não tinha nada além de seu carro, que era onde ela vivia. A história era similar com a de Jo, mas não trouxe muito impacto como talvez devesse. Essa trama apenas serviu para reforçar o momento em que ela e Karev estão vivendo, um momento que por enquanto é de quase lua de mel, mas que certamente não durará por muito tempo.

PS: Bailey = Irrelevância. 
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário