The Originals 2x05/06 - Red Door/ Wheel Inside the Wheel


Sempre há um motivo.

Não é segredo que o segundo ano de The Originals vem numa crescente de qualidade incrível e cada episódio se confirma que a história foi realmente planejada. Tudo anda se encaixando perfeitamente e diante disso é possível afirmar que série é uma das melhores coisas dessa fall season. 

Estou gostando muito de como a série está colocando Elijah no mesmo patamar que Klaus. Se isso antes já existia eu não consegui perceber. A importância do personagem para a atual situação da trama é grande. Ele se tornou a grande ligação para que Esther chegue a Klaus com seus planos de redenção para os filhos e usar a culpa que existe dentro dele acabou sendo a maior estratégia. 

Se você pensou que a presença de Nina Dobrev seria mais impactante se enganou. Obviamente, como toda doppelganger, ela se mostrou arisca e despertou a atenção de dois irmãos.  Dessa vez não houve disputa para quem iria ficar com ela, mas ainda assim rolou um pouco de recalque por parte de uma das partes. Tais memórias, lançadas por Esther, serviram para causar o sentimento de culpa em Elijah.  Até onde é verdade sinceramente eu não sei, Esther tem um facilidade incrível de manipulação, mas com certeza o que não for verdade mais para frente será revelado. Mas todo o esforço em mostrar para o filho o monstro que ele realmente é ao ter matado Tatia não foi o suficiente. Elijah continuou persistente, levando a Esther tomar medidas mais drásticas. O feitiço feito no sexto episódio provavelmente trará mudanças na personalidade dele, ainda mais porque ela não deixaria Klaus resgatá-lo tão facilmente.

Uma das melhores  coisas desses dois últimos episódios foi o confronto com Mikael. Dispenso boa parte dos diálogos entre ele e Cami, mas a partir do momento que a coisa ficou tensa e Klaus quase foi morto o cenário mudou totalmente. Davina e Kol, agora revelado, foram essenciais para que o pior não acontecesse. Obviamente o protagonista da série não iria morrer, mas o clima de perigo e urgência ficou no ar. O que não desperta muito minha atenção é esse romance que está surgindo entre Davina e Kol. A menina as vezes é tão ingênua que dá para ver desde já que ela pode se dar muito mal ao final dessa história. Mas apesar dessas distrações, foi épico ver todos os personagens de um lado só na batalha contra Mikael, conseguindo enfim intimidar o personagem que é SIM superestimado, principalmente por ele mesmo. Queria ver um Mikael quase que invencível tocando o terror, mas ele recuou tão rápido, que perdeu boa parte do respeito que eu tinha sobre sua figura e sobre tudo o que ele representava em toda a mitologia dos originais.

Voltando e Esther, podemos dizer que a personagem tem grandes motivações para fazer tudo o que está fazendo. A pergunta que ficou no ar e que muita gente não se perguntou até então foi o porquê dela ter ido atrás de Hope. Klaus trouxe esse questionamento em seu auge de ira e não obteve a mesma resposta que a gente e que explodiu nossas cabeças. Uma resposta que redireciona os caminhos da série mais uma vez. Esther fez um pacto com a  irmã, uma bruxa original muito mais poderosa e perigosa, que como preço para que ela pudesse ter filhos o primogênito de cada geração Mikaelson teria que ser sacrificado. Detalhe: Hope está viva e quando isso vir a tona a coisa toda vai pegar fogo. E a conclusão que se chega com isso tudo é que a vida dessa família foi fundamentada não só em segredos, mas principalmente em mentiras e conspirações. 

No meio disso tudo não vi tanto impacto na aparição do pai de Klaus. O que parece mesmo é que Esther consegue ressuscitar qualquer um do mundo dos mortos. Talvez essa situação tenha algum efeito positivo nas atitudes de Klaus, mas não vejo muitos caminhos diferentes a não ser a morte do recém aparecido pelas mãos de Mikael e com isso uma revolta ainda maior de nosso protagomista.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário