The Vampire Diaries 6x15 - Let Her Go


Aquele episódio onde aconteceu de tudo.

Palmas para o rumo que The Vampire Diaries está tomando nessa segunda metade da sexta temporada. A série esteve duas temporadas capengando e fazendo episódios de ruins à medianos, mas agora parece que os roteiristas estão conseguindo conduzir a trama de volta para os eixos que sempre esperávamos. Pode parecer papo de fadom, mas levando em consideração ao que foi desconstruído nesse período ruim, podemos dizer que a série conseguiu trazer de volta aquela mágica que nos prendia nos primeiros anos. Muita gente ainda pode achar falhas aqui e ali, e não vou ousar a dizer que não tenha, pois tem, mas ainda assim está tudo tão bom e divertido, que seria um falta minha não pontuar todos os lados positivos da trama.

Todo o drama da doença e morte de Liz foi muito bem explorado. Mesmo achando que deveriam ter dado maiores explicações sobre o porque do sangue de vampiro não poder curar o câncer, toda a história seguiu numa vertente muito interessante de apenas focar nas consequências do acontecido, principalmente quando falamos de Caroline, a verdadeira protagonista de toda essa storyline. Foi bom deixar em descanso os dilemas de Elena e sua linha romântica com Damon para ir a fundo nos sentimentos de Caroline, que ao mesmo tempo em que sofria pelo definhar de sua mãe também precisava lidar com os seus sentimentos verdadeiros por Stefan. O casal funciona e fazer com que o romance entre eles venha a ser conduzido de forma lenta acabou se tornando mais interessante por causa da expectativa criada.

Caroline trouxe muito mais emoção e sensibilidade nessa sequência do que Elena conseguiu trazer em todos os seus momentos de sofrência durante toda a série. Como não se emocionar quando a personagem vai de encontro à sua mãe em seus últimos momentos e não consegue ter uma ultima conversa com ela? E com os flashbacks dela andando de bicicleta e tendo um conversa profunda sobre morte quando ainda era criança? E com Caroline cantando MARAVILHOSAMENTE acapela no funeral todo planejado por ela mesma?

O discurso de Damon também foi simples e certeiro, pois como Elena disse; não era sobre ele e nem Liz, mas sobre o que Caroline precisava ouvir. Os flashbacks me causaram surpresa, pois não imaginava que Damon era assim tão mais velho que Stefan e isso explica muito a tamanha influência que o primeiro tinha na vida do segundo. 

Imaginar Caroline sem sua humanidade me trás curiosidade e quero muito ver como vão construir esse plot, que apesar de não ser novo, tem novas perspectivas. O que a personagem fala sobre Elena e Stefan sempre fugirem de suas emoções em momentos de angústia e sofrimento e em como ela é mais controlada no quesito vampirismo me faz crer que uma nova fase definitiva dela possa estar a caminho. Triste é saber que isso aconteceu logo quando Stefan estava prestes a se declarar. 

Simultaneamente tivemos a trama interligada entre Kai, Jo, Alaric e Bonnie. Assim, do nada, descobrimos que o líder do clã Gemini também é a base dos mundos espirituais, e o colapso exatamente quando Bonnie estava prestes a voltar para casa foi muito conveniente. Instantaneamente fiquei me perguntando quem era a moça que Bonnie viu assim que estava para fazer a passagem e ainda bem que não foi preciso esperar o retorno do hiatus para descobrirmos que a moça era a mãe de Damon e Stefan. Poderia arriscar a dizer que ela acidentalmente conseguiu fazer a passagem junto Bonnie, mas também pode haver a possibilidade de ter mais plot de Damon querendo voltar para o mundo espiritual no intuito de trazer a mãe para o lado dos vivos.

Jo passar toda a sua magia para Kai já dá grandes indícios de tragédias, ainda mais estando ela grávida de Alaric. Achei bonito o pedido de casamento, embora tudo tenha sido muito rápido, consequentemente aumentando a probabilidade de morte da personagem.

PS¹: Matt e Tyler. Nova dupla de policiais inúteis em séries de eventos sobrenaturais.

PS²: Feliz por não ter tido Enzo e aquele plot ridículo de vingança com a Salvatore avulsa. Podiam esquecer isso de vez e eu perdoaria facilmente esse furo de roteiro.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário