Chicago Fire 3x20 - You Know Where to Find Me

Adeus, Mills!

Antes de mais um evento #OneChicago, CF despediu-se de Peter Mills. Aquele que desempenhou papéis desde paramédico a bombeiro, resgatou pessoas, quis ser policial e tem talento de sobra na cozinha; Mills sempre foi um coringa na série e, hoje, dizemos adeus da melhor forma possível.
Peter Mills, it's been an honor and a pleasure to work with you. I hope you know you'll always have a home here at 51. (Chief Boden)
Enquanto Severide recuperava-se da cirurgia, Mills voltou ao Squad. A mãe e imã voltaram com o plot da mudança para a Carolina do Norte, a fim de manterem o restaurante e voltarem a ter algo somente deles e os conflitos sobre o avô desconhecer a família e ele estar, agora, abandonando-a; foram inevitáveis. Rice, mesmo sem perceber, foi fundamental para que a decisão de deixar o 51 fosse tomada: o jantar na casa dele, as evidências sobre como ele é ligado a Logan e aos familiares da esposa falecida, toda aquela conversa com Elise sobre como nunca se pode tomar a família como garantia, porque num instante tudo muda; fez com que Peter decidisse partir. Dawson, ao dizer que apenas ele precisava entender os porquês da partida, não poderia estar mais correta, mas quando ele a chamou pra ir junto, percebi que Peter ainda não superou o fim do relacionamento e aquele beijo em Gabby foi, ao mesmo tempo, a semente da dúvida acerca do que ela sente, e a certeza de que ele sempre terá algo mais forte por ela. A lembrança do pai, que sempre o acompanhou, não mais é um fantasma que o assombra; Mills libertou-se da ideia de tentar ser ou fazer algo para manter a memória de Henry Mills viva. Ele tem de encontrar o próprio caminho e, assim, decidiu mudar-se, mesmo quando os CF brothers pediram que ele finalizasse o turno a fim de tomar uma posição definitiva e a última vítima foi como se todos os outros 'resgatados' nestes 3 anos, pudessem agradecê-lo pelo serviço prestado. Que tenhamos a coragem de abrir mão do 'garantido' por aquilo que, realmente, desejamos. Boa viagem, Mills!
I learned what it means to be a brother and how you do whatever you can to be there for each other. And the crazy thing is, now I'm leaving this family for another. But I wanted you all to know that these 3 years, they have been the best time of my life. (Peter Mills)

Enquanto a despedida de Peter foi o foco, os outros plots foram pincelados de forma que não roubassem a cena, mas nos situasse no quesito tempo x espaço. "Like a million bucks..." April e Kelly viveram seu momento 'carpe diem' e eu gosto bastante do casal! O afastamento dela do hospital e a decisão de viajar pelo mundo a fim de esquecer o trauma recente foi a melhor maneira de lidar com o momento de crise. Alguém pode culpá-la? Dawsey na cena da  devolução camisa não poderia ter sido mais constrangedor e, enquanto eles brincam de casualidades 'sem tratamento especial', Gabby voltou pra ambulância porque ninguém merece o chato do McAuley de volta! Not today, Satan, not today! Acredito que Jack Nesbit será um problema na vida de Casey e esse plot de construção me deixa completamente com o pé atrás! E quanto a Herrmann? Por que essa preguiça de dar um plot decente a um dos meus personagens favoritos? Adorei as cenas dos Wolverines e o fato do Luke preferir ficar no banco foi surpreendente até pra ele, mas eu preciso de mais!

Chicago Fire volta, semana que vem, em mais um crossover triplo com PD e SVU e eu mal posso esperar! Ansiosos?

PS,: Cada vez mais apaixonada no Rice!
PS².: Ameeeei o caso do homem empalado! Ri demais nas teorias sobre o 'banana' - que, no fim, era Banan -, mas achei tããão forçado o Peter ser o cara que desvenda o mistério apenas pra mostrar quão 'incrível' ele era e quanta falta faria caso saísse do 51.

Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário