Game of Thrones 5x01 - The Wars to Come

"The future is shit just like the past."  - Tyrion 
Game of Thrones abriu sua temporada trazendo respostas, novas perguntas, alianças inesperadas e uma pincelada em cada núcleo (com exceção de Arya que, pela promo, só aparecerá semana que vem). Foi tudo tão maravilhoso que, quando a flecha do Snow cortou o céu, eu senti como quem viu apenas 10 minutos de história! "The Wars to Come" trouxe à tona o trabalho silencioso de tecer uma teia e a importância do menor dedo da nossa mão...

AMEI as primeiras cenas do episódio, a jovem Cersei e o pacto de sangue a fim de saber sobre seu futuro, a visita à bruxa e a profecia de que "você será rainha, por um tempo e então virá outra, mais jovem e mais bonita pra te derrubar e te tirar o que é mais precioso" (e eu vejo a face de Dany quando a profecia foi dita, não da Margaery), até que cortou pra fatídica sala de velório - estupro 2.0? - e o encontro dos gêmeos no funeral do Tywin Lannister evidenciou os primeiros rasgos de ruptura no covil dos leões: "eles esperam em filas para ver se ele está morto e planejar uma forma de nos dividir." Não bastasse a aproximação de Margaery com Tommen, a chegada de Kevan Lannister (a fim de lidar com o poder ao lado da Rainha), o primo Lancel - cúmplice da morte de Robert Baratheon e em busca do perdão de seus pecados - surge em forma de 'Pardal' e parece traçar, em definitivo, o futuro da prima. Olhos abertos em King’s Landing, os rugidos podem já não intimidar tanto quanto antes.

"Você não precisa ter medo do meu pai," disse a jovem Cersei à sua amiga enquanto caminhavam na floresta. Tyrion não teve medo e a exaustiva viagem dentro da caixa, enfim, terminou. Sabe quando a ressaca moral confunde-se com a 'normal' e você já nem lembra como caiu nessa espiral de embriaguez de tudo e pelo todo? Meu personagem preferido está em Pentos, longe dos olhares da irmã, discutindo sobre a política e o futuro de Westeros com Varys; protagonizando diálogos maravilhosos: “os Sete Reinos precisam de um governante amado por milhões, com um poderoso exército e um respeitado nome de família. / Boa sorte em encontrá-lo. / Quem disse algo sobre “ele”?” Quem não vibrou ao saber que o tão esperado encontro entre o anão e a mãe dos dragões está próximo de tornar-se realidade? Varys já dava indícios de conhecer muito sobre Daenerys e saber que ele tem tecido uma rede de sustentação e alianças para fazer a única Targaryen com direito chegar ao trono de ferro foi muito bom! Próxima parada: Meereen.

A queda de esfinges na conquista da Daenerys pelas cidades adjuntas demonstra que, além de perder o controle de seus filhos jovens rebelando-se e não seguindo os demais, pode pagar um alto preço por não respeitar tradições e crenças antigas. Os Filhos da Harpia são parte de um novo núcleo que, ao que tudo indica, tratá terror e pintará de vermelho o caminho da Dany. Daario provou-se não apenas um bom amante, mas um excelente conselheiro ao contar a própria história a fim de barganhar a arena para luta dos "homens livres" mas, se a proposta for aceita, ela não estaria indo contra tudo o que acredita? "Uma rainha dos dragões, sem dragões, não é uma rainha," chegou a hora de mostrar-se maior que o título e fazer-se temida com ou sem dragões...

Por falar em defender seus ideais até a morte, Snow protagonizou um dos momentos mais marcantes no capítulo! Stannis está estabelecido na Muralha e, desejoso de conquistar Winterfell (agora sob domínio de Roose Bolton), pretende inserir os selvagens em seu exército, declarando-os 'cidadãos na terra' ao passo que Mance precisaria reconhecê-lo rei. Coube a Snow levar a mensagem de "ajoelhe-se ou queime" e eu não precisei ter lido os livros conhecer a resposta para prever o desfecho. O Rei-Para-Lá-da-Muralha sentiu o fogo de Melisandre corroer suas entranhas enquanto o golpe misericordioso de Jon acertou-o no peito, como um pedido de desculpas, como um relato aberto de empatia e respeito mútuo. Sei que gritei um 'treta is coming' e não posso esperar para saber o que virá depois! 

Sansa e Mindinho partiram em direção ao desconhecido e eu ainda estou me corroendo pra saber o que estava escrito naquele papel que ele recebeu! Não pude deixar de rir do pequeno Arryn apanhando, literalmente, da espada nem de reconhecer quão diferente estava a postura e a firmeza da Stark! You go, girl! Os irmãos Highgarden confabularam nos aposentos do Loras - logo depois daquele discurso de pesar fúnebre patético dele pra Cersei que me fez gargalhar - e Brienne, ainda na sua melancolia profunda sobre vestir armadura e não ter um Lorde para servir, foi outra que me cortou o coração naquela solidão que grita, mesmo com menino Podrick me fazendo rir de seus comentários acerca da "cavaleira".

Se o sangue de Jesus tem poder, R'hllor e os Sete estarão dando as cartas nesta temporada de GoT que, com a morte do papai Lannister, abriu mais uma lacuna no poder; contornando as guerras em diversos núcleos como um prólogo de grandes acontecimentos! 
Não estou à procura de salvadores, mas sim de homens de talento com um papel a cumprir nas guerras que estão por vir. (Varys)
PS.: alguém manda pra Daenerys uma cópia do DVD "Como Treinar seu Dragão"?

PS².: o que foi aquele diálogo da Sacerdotisa Vermelha com o bastardo Stark sobre virgindade? He knows something, Melisandre!

Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário