Game of Thrones 5x06 - Unbowed, Unbent, Unbroken

“I’m Sansa Stark of Winterfell. This is my home and you can’t frighten me.”
Que final de episódio... e eu ainda não sei explicar a mistura de sentimentos neste momento, mas esta entrou pro ranking de uma das cenas mais doídas de assistir! Um capítulo importante pro desenrolar da história, as voltas de Olenna e Petyr a King's Landing - que sempre rendem ótimos diálogos com Cersei -, o avançar de Arya, mais um apuro pra Tyrion e a Fé dos Sete ditando regras e fazendo-se Lei. Intercalando seus núcleos, Game of Thrones passeia por todas as tramas de igual modo, e eu adorei essa maneira de contar a história.

É impossível não iniciar com o plot da Stark. Quando a temporada começou a entregar um arco decente pra ela, eu vibrei. Vê-la como protagonista da própria vida, tomando as rédeas da situação, saindo do vitimismo ao qual sempre fora condicionada foi como a volta da claridade numa Winterfell mais negra que nunca. Mas não, a série decidiu retroceder, deu passos gigantes pra trás. Sansa assistiu de camarote o pai ser executado, foi mentalmente torturada, sofreu abusos de diversos tipos, foi obrigada a casar-se com alguém de família responsável pela morte da sua própria família (duas vezes!!), manipulada por alguém que, ainda hoje, acredita ser sua única família viva, escapou das garras do sádico Joffrey e, agora, caiu no conto de alguém pior. Eu cheguei a acreditar que havia acabado, cogitei pensar que era suficiente, mas não... Na noite de núpcias, com Theon assistindo calado, Ramsay estuprou-a. A cara de horror dela refletiu no meu pavor, nas lágrimas de Reek - e se isto não for suficiente pra acordá-lo da dominação mental eu desisto! Sansa foi colocada vítima novamente e eu não poderia estar mais irritada. Claro que ela tem todo um suporte desta vez, certo que nem todos seriam como o Tyrion, mas eu me fiz de Greyjoy e chorei junto. Esperava outra coisa de Ramsay? Não! Mas essa tradição de devastar personagens depois de um casamento ainda acaba com meu psicológico! 

A Stark mais nova está evoluindo na Casa do Preto e Branco. Sabendo que o jogo nunca para, ela precisa abdicar de seus sonhos, esperanças, ódios e amores, precisa deixar pra trás quem é, acreditar nas mentiras que conta e fazê-las verdade. Ao desbravar as partes ainda desconhecidas da Casa e encontrar diversos rostos, ao dar a água pra menina e contar mentiras para aliviar as dores de outro alguém, na interação com o Jaqen enquanto ela apanhava ao refazer toda sua trajetória até ali; vejo como um crescimento importante na sua servidão ao deus de Muitas Faces. "A girl is not ready to become no one but she is ready to become someone else." É certo que ela ainda tem muito caminho a percorrer, mas começa a esboçar aprendizagem e eu estou ansiosa pra conhecer os outros níveis deste treinamento! Tyrion e Jorah continuam a dar voltas sem chegar a lugar algum, mas protagonizando uma das cenas que me fez gargalhar! Após o momento emocional em que o Urso descobre que o pai está morto, eles são capturados por mercadores de escravos e apenas não são mortos porque as arenas de Meereen foram reabertas e o Leão - numa cena que muito assemelhou-se a 'Coração de Cavaleiro' - deu ênfase às performances do Mormont no campo de batalha (principalmente ao citar que ele derrotou um Dothraki). Espero que essa viagem dos dois, enfim acabe, mas ainda estou rindo com o Anão barganhando o próprio pênis a fim de manter-se vivo (e conhecemos o verdadeiro significado de pica de ouro!)

"Eu gosto de improvisar / O que explica sua mão de ouro." Bronn e Jaime, disfarçados e embalados por um grande sucesso musical de Dorne, entraram no castelo dos Martell e encontraram Trystane e Myrcella fazendo planos para o futuro. Eu já estava achando muito fácil a entrada deles e a cena descambou com a chegada das Serpentes de Areia - sempre descritas como poderosas e altamente letais, acabaram por parecer caricaturadas demais, infelizmente. Não sei se o chicote de Obara leva veneno tal qual as armas de Oberyn, mas a ênfase no ferimento de Bronn me faz acreditar que sim. Doran pretende proteger o filho e a Lannister e seu escudeiro, munido do machado, dá fim à batalha recém iniciada. Com as identidades reveladas, chegou a hora de Jaime realmente fazer-se do seu gosto pelo improviso porque a missão diplomática está posta em xeque. Não acredito que Myrcella voltará pra casa nem que as Serpentes cessarão no desejo de vingança. Que este tenha sido o prólogo desta trama e que, na próxima vez, seja mais convincente!

Petyr chegou a The New King's Landing, como disse Lancel, e me deleitou nas cenas com a Rainha-Mãe. O plano dele em casar Ramsay e Sansa vai muito além do que eu, sequer, supus. Ele fez parecer que o casamento que uniu os Bolton e os Stark foi arquitetado por Roose, um ato de traição aos olhos da Leoa que deseja a cabeça de Sansa numa estaca. O conselho de Mindinho, sempre sorrateiro, é deixar que Stannis dispute Winterfell com Roose e, assim que um sagrar-se vencedor, a Rainha Regente enviar tropas para uma nova batalha que seria ganha facilmente; sabendo que o tio Kevan "tem a coragem de um rato", ele oferece o exército do Ninho da Águia nesta empreitada - caso seja nomeado Protetor do Norte. Aplaudi de pé!! Sem dúvidas, um dos personagens mais inteligentes dessa série! E por falar em sagacidade, Olenna Tyrell deu outro show à parte, sem precisar falar muito, aliás. A situação de Loras agravou-se no inquérito encabeçado pelo Alto Pardal, uma vez que seu escudeiro/amante mais recente o desmentiu. Não bastasse isso, Margaery também foi acusada - quando negou saber acerca da sexualidade do irmão - e agora os irmãos de Highgarden estão presos! Tommen, mais avulso que nunca, assistiu sua esposa ser levada enquanto gritava I'm the queen is the new she is Amanda Clarke, e Cersei deu provas de sua burrice feat loucura, uma vez que derrubar os Tyrell - responsáveis pelo fornecimento de comida e exército para a cidade - neste momento é um passo altamente arriscado! Tywin podia desprezar seus inimigos, mas ele sabia como preservar seus interesses, a filha age pelo impulso e é tão cheia de si que não enxerga três linhas adiante - o que eu adoro porque tudo é tão cheio de cinismo de ironia que só enriquecem as cenas. A Rainha dos Espinhos assistiu a Leoa dar as cartas até aqui e eu acredito que agora ela será a protagonista dos movimentos cruciais no que tangem tanto a Fé Militante quanto a soberba da Cersei!

O próximo episódio a série promete fazer a justiça no que diz respeito aos Tyrell, Jon parte com Tormund, Stannis organiza seu plano de batalha e meu desejo, cada vez maior, de ver Ramsay Bolton sofrer. Você pode conferir promo clicando aqui

PS.: Que cena maravilhosa do Alfie! O tormento de Sansa foi contado pelos seus olhos e eu fiquei completamente abalada com aquele choro! Palmas lentas!
PS¹.: Começo a pensar no plot do Jorah e só penso numa versão Spartacus 2.0
PS².: Manda mais cenas da Olenna lacrando tudo! Mais Petyr ventilando sarcasmo! Mais carão da Cersei! Ansiosa pra quando 'os pecados da Lannister' tornarem-se públicos também!
PS³.: Que vestido MARAVILHOSO o do casamento da Sansa, hein?

Melhores Quotes:

“We both peddle fantasies, Brother Lancel. Mine just happen to be entertaining.” Petyr Baelish

"A Targaryen alone in the world. It's a terrible fate" Tyrion Lannister
Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário