Game of Thrones 5x07 - The Gift

This is UnacSEPTable!
Um presente sempre tem um propósito e a pessoa que o recebe decide como proceder antes mesmo de abrir a caixa. Muitas vezes o presente é uma dádiva, outras é maldição mas, independente do significado, as consequências são inevitáveis! O sétimo episódio de GoT foi regado de promessas e entregas especiais, de despedidas e horrores, de contradição, tradição e a justiça sendo feita, literalmente, para aqueles que achavam-se maiores que o próprio Deus.

Os créditos subiram e ver Cersei encarcerada foi um misto de sentimentos dentro de mim! Eu AMO a personagem, AMO tudo nela, acho uma das melhores coisas na série e sempre é um deleite vê-la em cena - seja com sua típica arrogância ou as tiradas ácidas sempre regadas a vinho, pelos seus movimentos ora estúpidos, ora geniais, suas expressões faciais que muito dizem em fração de segundos -, mas eu não imaginava que a construção do cárcere dela seria desta maneira! Quando Olenna, depois de muito tentar chantagear/convencer o Alto Septão de libertar seus dois netos, reuniu-se com Petyr no bordel completamente destruído pela Fé Militante, eu vibrei. São dois dos meus preferidos em cena, evidenciando uma aliança há muito selada "together, we murdered a king. If my House should fall, I will have nothing to hide" e, seu antigo aliado, deu-lhe um baú repleto de segredos da Rainha-Mãe: Lancel Lannister

A leoa não sabia que o momento materno - a fim de acalmar o coração de Tommen e ter a chance de tripudiar, pessoalmente, de Margaery - iria ser o início da sua clausura. As duas Rainhas protagonizaram uma cena maravilhosa e, enquanto as sobras do jantar de Cersei espalhavam-se pelas paredes da cela da Tyrell, o Alto Pardal explicava sobre o julgamento dos irmãos Highgarden, passeando por palavras como 'misericórdia, atos e títulos', ele trouxe Lancel à presença da Lannister e a cara que ela fez ao perceber que estava completamente ferrada foi digna de aplausos! "O que acharemos quando removermos seus adornos?" EU NÃO PODIA ACREDITAR QUE ESTAVA PRESENCIANDO AQUILO! Impagável vê-la segurada e arrastada pra dentro de uma cela, agora, ao lado de Margaery; fazendo ameaças e arrotando a soberba que lhe é peculiar. "Are you lost your mind? I'm the queen!" E eu só consigo pensar em semana que vem porque a) ela deve estar muito arrependida de ter trazido essa 'caça às bruxas' à Capital b) preveu que carregaria alguma culpa e o seu cúmplice está remendando o Montanha para representá-la num duelo a fim de poupá-la a vida c) vai continuar proferindo ameaças a Deus e o mundo por não saber quão longe o primo foi na delação... E eu, realmente, preciso saber quais pecados Lancel colocou na listinha! 

Inaceitável como Sansa, até em seu próprio plot, é coadjuvante! "It can always be worse," e os problemas dela estão longe de acabar, uma vez que o abuso sexual transformou-se em agressão física contínua e diária e, a única pessoa que poderia ajudá-la, piorou tudo. Theon, a única testemunha de toda perversidade em Winterfell, ainda está sob domínio de Ramsay, entregando-lhe a vela que seria a liberdade da Stark daquele horror sem fim. O enredo gira em torno dele, sobre o exato momento em que ele entenderá que é Theon Greyjoy, não a marionete de alguém. Todo este arco parte meu coração em trocentos pedacinhos, ainda mais quando Sansa teve de assistir o corpo da senhora que a ajudou desde o início, esfolado e emoldurado numa das paredes externas: que cena pavorosa! Este foi um aviso pra ela, principalmente com a chegada cada vez mais próxima, de Stannis ao Norte. Dono de uma brutalidade que faz Joffrey parecer o filho são de qualquer casal, Ramsay ao menos serviu para contar à esposa que Jon é o novo Comandante da Patrulha - o que pode ajudá-la a arquitetar algum plano de fuga para reencontrar-se com o meio-irmão - mas eu amei a alfinetada que ela deu sobre um bastardo ser empoderado por outro. SLAY! 

O inverno, desta vez, parece estar mesmo chegando e, se os Bolton sabem como lutar na neve, o mesmo não pode ser dito do exército do Baratheon - morreram 40 cavalos apenas no caminho, a comida está escassa e as dúvidas começaram a surgir. "We march to victory or we march to defeat. But we go forward," ele não quer ser o Rei que recua e Melisandre planejar usar o sangue de Shireen para que a vitória seja garantida, foi um golpe inesperado para Stannis - e agora eu entendo porque tanto enfoque nessa relação paterna. Dorne (salvo por mais um momento musical) continua me entendiando até a morte com Bronn quase morrendo pelo veneno de Tyene e sobrevivendo graças a sua 'piedade', mas Myrcella tem razão ao dizer que nenhum dos pais a conhece, uma vez que ela foi afastada da família desde muito nova e vê em Dorne seu lar. Jon Snow, desaprovando quase todos os Patrulheiros, partiu com Tormund e mais 3 companheiros do negro a fim de encontrar os Selvagens: eu estou muito apreensiva sobre essa expedição, principalmente no momento da volta, uma vez que ele não vai encontrar tudo como deixou (adorei Sam tentar proteger o amigo, mesmo de longe, dando-lhe vidro de dragão na esperança de que ele não o use).

"No man was wiser, or gentler, or kinder. He was the blood of the dragon, but now his fire has gone out. He was Aemon Targaryen. And now his watch is ended." Na Muralha, Sam Tarly começou a perder todos os amigos. Meistre Aemon faleceu e minhas lágrimas não puderam ser contidas. Havia lucidez em seus delírios, principalmente quando ele mandou Gilly levar o filho pro Sul antes que fosse tarde, e me corta o coração saber que Snow não teve uma despedida apropriada. Mas todo o momento foi estragado pela sequência seguinte. Gilly foi atacada por dois Patrulheiros e a ameaça do estupro culminou na intervenção de Sam lutando com os 'irmãos' e quase apanhando até a morte, não fosse Ghost surgir da escuridão e salvá-los. O ápice pra mim foi, após toda a situação e ao cuidar dos ferimentos do Tarly, Gilly dar fim à virgindade do moço e eu abstenho-me de palavras parafraseando Shae, na primeira temporada, num diálogo com o Tyrion: "A girl who was almost raped doesn’t invite another man into her bed two hours later."

Nada satisfeito com o futuro casamento de Daenerys, Daario tentou convencê-la a casar-se com ele e a matar todos os Mestres sob o pretexto de que ela é a única pessoa que não é, realmente, livre em Meereen e minha vontade de entrar na tela e dar uns tapas nele quando afirmou que 'até os escravos têm direito de escolha' ainda não passou! Convencida de que teria de honrar as arenas menores com sua presença, Dany e seu noivo foram assistir aos embates do comprador de Jorah e Tyrion, proporcionando o encontro mais esperado da temporada! Quando o Mormont viu sua amada Khaleesi de relance, adentrou a arena e aniquilou todos os oponentes, acreditando que ela o aceitaria de volta... ledo engano. A Targaryen apenas conteve os guardas de tirá-lo de sua presença quando ele afirmou ter um presente pra ela e, diante de nossos olhos, os olhares do anão e da mãe de dragões cruzaram-se pela primeira vez: "I am the gift. A pleasure to meet you, my grace. My name is Tyrion Lannister." 

Semana que vem veremos o começo do martírio da leoa, o lobo enfrentando um de seus maiores desafios, a mãe de dragões recebendo seus visitantes não requisitados e Sansa Stark com uma das frases que prometem ser prólogo de uma grande cena: "If I could do what Ramsay did to you, I would." Você confere uma prévia clicando aqui.


Melhores Quotes:

“Egg, I dreamed that was old.” (Aemon)

 “We are the many. When the many stop fearing the few…” (Alto Septão)

“Innocence. Decency. Concern. You’re not very good at those I’m afraid” (Margaery)

“Look at me. Look at my face. It’s the last thing you’ll see before you die.” (Cersei)
Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário