Game of Thrones 5x08 - Hardhome

JON FUCKING SNOW!

Estou colapsada! A tradição do 9º episódio de cada temporada ser sempre o mais espetacular me deixou paralisada esperando por domingo, uma vez que "Hardhome" foi um dos melhores capítulos da série inteira! As cenas finais foram INCRÍVEIS, há tempos eu não gritava e torcia e tremia (temia!) e enlouquecia com uma sequência de batalha tão bem feita e, se eu pudesse resumir meus sentimentos numa frase, seria: I KNOW NOTHING, JON SNOW!! Que homem! Que cena!!

Quando Jon partiu com Tormund para Durolar, a fim de unirem forças contra os White Walkers, eu imaginei que o enredo enrolaria até o final da temporada. TOMEI NA CARA E NÃO PODERIA ESTAR MAIS FELIZ!! Ao chegarem em Hardhome - a vila do Povo Livre -, Tormund matou o Senhor dos Ossos e mandou reunir os anciões sob o pretexto de que a guerra estava acontecendo e apenas eles não conseguiam perceber. Não se tratava de amizade, de hastear a bandeira branca porque os tempos não são normais; o propósito era a coragem de tomar uma postura diferente, a sobrevivência dos vivos na guerra contra os mortos "seus filhos nunca terão filhos se não nos unirmos agora" e, em meio a descrédito a Snow, a recusa dos Thenns e o discurso de convencimento de Tormund a fim de levar os 5 mil selvagens para as terras ao sul da Muralha, vimos a 'longa noite' chegar! Os White Walkers surgiram como uma avalanche de terror e gritaria, os portões foram fechados e, subitamente, vimos The Walking Dead na HBO. EU CONGELEI! 

“Fuck the dragon glass! We’re all going to die here!” Sangue, neve, flechas, gigantes, fogo, correria, pessoas jogando-se na água, Snow assumindo o controle da situação enquanto eu gritava pra ele ir embora daquele inferno, crianças zumbis, morte, morte, morte. Parecia o Apocalipse!!! A cena da cabana fez meu coração acelerar e a cara do Jon de "FUDEU, WESTEROS!" foi a mesma que eu fiz achando que ele não conseguiria sair dali, mas O AÇO VALIRIANO TEM PODER e o que achei ser o líder dos Outros, morreu. Um pouco mais de correria e aflição, com o Senhor Comandante da Patrulha, Tormund e alguns Corvos no último barco que restava para sair de Hardhome, eis que o verdadeiro dono da porra toda líder dos Walkers emergiu da névoa e ressuscitou os mortos do campo de batalha, um a um, fitando Snow como quem diz "you're the next" e eu vou ficar com esta imagem na cabeça durante alguns dias... 

O tão esperado encontro aconteceu e Daenyrion pôde começar a conhecer melhor um ao outro. Ele queria provar-se necessário intelectualmente, ela que não era uma má aposta e, assim, uma aliança começou a construir-se. O primeiro dos conselhos do anão poupou a vida do Jorah mas o baniu, novamente, do domínio de Dany e este homem não apenas vai voltar pras arenas a fim de provar seu valor e ser visto pela Khaleesi, mas continua amargando o desamor na friendzone ao passo que o escamagris alastra-se pelo corpo. Se você achou que seu dia estava ruim, foca no Mormont! Tyrion é o novo Conselheiro da Targaryen e, entre assuntos familiares - ela filha de um louco, ele de um hipócrita - a demonstração de confiança em Varys e a tentativa de convencer Daenerys a ficar por Meereen, uma vez que Westeros é conflitante demais; ela ratifica o desejo de voltar voltar pra casa, mesmo sem aliados ou poder, mesmo vindo de uma Dinastia já morta. “A ruler who kills those devoted to her does not inspire devotion,” e Dany tem planos de 'quebrar a roda que esmaga o povo, acabar com essa alternância de Casas que sempre repetem os mesmos erros', deseja fazer algo maior, diferente; ter o Trono de Ferro a fim de romper o ciclo vicioso de comando em Westeros e eu fico pensando aonde termina a ideologia e começa a prática.  

Arya avançou algumas casas no tabuleiro preto e branco e, se o Deus de Muitas Faces não se importa se ela está pronta ou não, quem sou eu pra questionar! Estou adorando vê-la crescendo no treinamento mas um pouco confusa porque, se 'todos os homens devem morrer', focar necessariamente na justiça social sendo feita para mover as bases da hierarquia no que tange abuso de poder parece que ela está transformando-se em Emily Thorne, não um Homem Sem Face, propriamente dito. A Stark agora é Lana, uma comerciante de ostras e observa aquele que extorque dos mais pobres, recebendo a nova missão de dar-lhe um elixir na próxima vez que encontrarem-se e, ao mesmo tempo que fico muito animada pelo desenvolvimento do plot, me faço a mesma pergunta que a outra moça da casa: ela está, realmente, pronta para a tarefa? Mas isto é tornar-se ninguém, não é mesmo? Não pertencer a ninguém, estar sem a proteção de alguém, caminhar com as próprias pernas.

Sansa confrontou Reek sobre a entrega da vela e ele continuou a repetir que foi a maneira de salvá-la, uma vez que não há como escapar de Ramsay. Ela ouviu pausadamente tudo o que o Bolton fez a ele e, sendo maravilhosa, afirmou que faria as mesmas coisas como vingança porque, não fosse o Greyjoy, ela ainda teria uma família. "I deserve to be Reek," mas meu otimismo voltou a aparecer quando Theon começou a elencar as investidas contra a Casa Protetora do Norte, desde a traição a Robb e a captura de Winterfell até confessar que os corpos carbonizados não eram de Rickon e Bran, dando à Stark um momento de perplexidade por saber que ainda existem possibilidades de reencontrar seus irmãos! Creio que este foi o pedido de desculpas mais sincero, foram as palavras mais verdadeiras que saíram da boca de Theon e eu não imagino como ficou a cabeça de Sansa depois dessa descoberta, mas continuo torcendo pra ela escapar das garras do Ramsay o mais rápido possível! Por falar nele, a chegada de Stannis aproxima-se e, enquanto Roose deseja manter a vantagem defensiva com as muralhas reforçadas e o inverno avassalador no caminho até Winterfell, o Bolton mais jovem requisita 20 homens e promete 'um banquete para os corvos'. Eu não faço ideia do que este louco fará, mas coisa boa não é!

Descobrimos como a nossa Rainha fica sem os adornos. Ela, que sempre contou com a tríade beleza-riqueza-nome, está passando por uma fase bem complicada no cárcere, mas nem todo o sofrimento foi capaz de diminuir a soberba da Leoa. Acusada de 'fornicação, traição, incesto e assassinato do próprio marido' e ignorada pelo tio Kevan, ela continua recusando os pedidos de Qyburn para que confesse seus crimes e consiga as indulgências a fim de libertar-se logo e começar a traçar novas estratégias em liberdade. “I made him. I rose him up from nothing. I will not kneel before some barefooted commoner and beg his forgiveness.” A Lannister tem sua maior fraqueza numa vida inteira de privilégios e, enquanto não compreender sua real situação, vai continuar matando a sede com a água empoçada no chão e assistindo de camarote a sua derrocada. 

Este episódio marcou tanto as lutas pela vida, como a protagonizada por Snow, outra mais suave, por Dany ao vincular-se a promessas antigas ou novos aliados; e a psicológica, travada entre Theon e Sansa no que tange à coerção que ambos sofrem de Ramsay. O slogan "you win or you die" nunca fez tanto sentido no que diz respeito às narrativas das personagens nessa reta final da temporada! Faltam 2 e meu nome é ansiedade! 

PS.: Tommen tá depressivo?
PS¹.: Jon Snow em: Minha Casa, Minha Vida de Westeros.
PS².: O inverno, enfim, chegou! Só eu tô com dó da Selvagem que mal ganhou palco e já virou zumbi de gelo? 
PS³.: "As Crônicas de Gelo e Fogo" - neste tivemos muito, muito gelo, semana que vem o episódio é intitulado "A Dança dos Dragões", vem fogo por ai? DRACARYS NELES!

Melhores Quotes:

“We’re not friends. We’ve never been friends. We won’t become friends today. We’re all meat for their army.” (Jon Snow)

“Belief is so often the death of reason.” (Maester Qyburn)

“If I want jokes, I’ll get a proper fool.” (Daenerys)

“He’s prettier than both my daughters but he knows how to fight.” (Tormund)

Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário