Grey's Anatomy 12x04 - Old Time Rock and Roll


Não sei o que pensar, não sei o que dizer, só sei sentir!

Que maravilho foi esse episódio de Grey's Anatomy. A série está conseguindo trazer nesse novo ano tudo de bom que ela sempre soube trazer em seus melhores anos. Teve comédia, emoção, drama, momentos chocantes, ingredientes essenciais para que o público receba tudo o que ele deseja. É muito bom elogiar uma série que a gente gosta e se importa de verdade, ainda mais quando essa série já tem 12 anos e está conseguindo se renovar a cada temporada.


Preciso dizer que Maggie está se saindo muito bem trazendo os momentos mais cômicos dos episódios. Nunca imaginaria que seria ela a responsável por isso, depois de tudo o que ela entregou na temporada passada, que pra falar a verdade, foi uma temporada em que a personagem estava totalmente perdida. A Sisterhood foi a combinação perfeita para esse novo momento, e digo isso não só em relação à Maggie, mas também a respeito de Meredith e Amelia. Porém, o que anda chacoalhando as coisas na antiga casa de Ellis Grey são os impulsos de sua filha caçula. Dormir com o interno certamente não é algo do feitio da personagem, mas acontece com qualquer um. Foram hilários todos os momentos em que Maggie tenta se afastar de DeLucca, evitando uma situação constrangedora, mas o que ela não sabia e a gente já era que promessa nenhuma faria os dois se afastarem, pois a química sexual ali foi forte. Sei que muita gente ainda não consegue comprar o casal, e que Maggie não tem aquele sex apple necessário pra protagonizar esse tipo de cena, mas vamos dar um crédito, porque por enquanto, está tudo se encaixando e dando muito certo.

Já Meredith está satisfeita com sua situação de viúva e achando que a parte sexual e amorosa de sua vida acabou. A gente sabe que essa é uma fase que toda mulher passa (ou pelo menos boa parte delas). O discurso foi bonito e mostra, mais uma vez o amadurecimento da personagem. Focada na vida profissional e empenhada a cuidar dos filhos ela segue feliz, ainda que visitas inesperadas venham para reabrir a cicatriz quase cicatrizada. Acredito que muitos levaram um choque ao ver que a nova namorada de Callie é a médica que tentou salvar a vida de Derek. Não me preocupo muito com o que Meredith pode fazer, afinal, como já foi dito, agora ela está mais madura e consegue lidar com situações inusitadas. Todo estrago pode vir internamente no fato dela ter que reviver todo aquele momento de maior dor em sua vida. Mas a situação tende a ficar mais complicada quando Amelia ficar de frente com a médica que não deu o tratamento necessário para salvar a vida de seu irmão e a partir daí o drama pode criar outras proporções.

E por falar em Amelia é preciso destacar seus momentos com Stephanie e todo a questão da paciente que havia acabado de sair de uma neurocirurgia. Desde a temporada passada essa união entre as personagens tem me agradado bastante, assim como a própria Stephanie tem sido uma das melhores adições para a série. Não me agradava muito quando ela era apenas a namorada do Jackson, mas do momento em que ela desencanou dessa paixão sem futuro e começou a focar na carreira, suas aparições ficaram muito mais agradáveis. Não imaginava um drama tão intenso para ela e foi perfeitamente aceitável sua hesitação ao tratamento feito na paciente.O bom é que mesmo com tudo isso ela conseguiu se superar, consequentemente ajudando a paciente. E tudo isso com o apoio de Amelia, que se mostrou totalmente sensível àquela situação (Bendito Richard que sempre tem os melhores conselhos - Nosso eterno Cheif). 

E no meio de toda essa situação temos a chata e inconveniente Jo, que não tem a empatia do público e nem dos próprios personagens da série. O que parece mesmo é que os roteiristas estão pegando as opiniões do público sobre não gostar da personagem e reforçando isso a cada situação em que eles colocam-a. Não ficaria admirado se Jo fosse a próxima vitima de Shonda, o que não seria ruim, já que Alex precisa de algo para dar uma balançada em sua vida. E por falar nisso esse foi mais um episódio em que ele voltou a ser esquecido.

Pra finalizar, gostei bastante de toda a situação com os pacientes idosos e de como foi emocionante o casal da terceira idade que encontrou o amor novamente. Na verdade, foi tudo muito bonito e trágico ao mesmo tempo, já que um deles acabou morrendo. Mas a lição veio na mensagem de que a vida não acaba quando chegamos a certa idade, e que ainda podemos viver situações inspiradoras independente disso. Ver os novos internos tendo que aprender a como se comunicar com os parentes também trouxe uma lição de humanidade e de como médicos precisam ter tato para lidar com a dor alheia. Muito bem Shonda, muito bem roteiristas!
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário