Chicago PD 3x11 - Knocked the Family Right Out

Oh, Erin Lindsay, eu te amo!

Que sufoco! Que nervoso! Quantas reviravoltas!! O episódio dessa semana de CPD manteve seu foco na nossa detetive preferida, nos dando mais motivos para amá-la ao passo que sofríamos com a intensidade do acontecimentos. Fire e Med ainda fizeram uma pequena participação no 3x11 e Platt descobriu que parece que Burgess não é a única a adiar o casamento...

O caso dessa semana envolveu um grupo de assaltantes cujo MO envolvia arrombamento, pichação e urina nas paredes, máscara de gás para que a família em questão fosse nocauteada por óxido nitroso e... estupro. Foi incrível toda a força tarefa para tentar capturar os crápulas por trás das máscaras nos vídeos de segurança, mas o grande plot twist chegou na metade final do episódio: Twany, a vítima número 2, aquela que forjou ter sido estuprada, era um dos algozes! OMG! Foi desesperador quando Erin foi conversar com ela a fim de ter algum reconhecimento facial do estuprador e acabou sendo capturada por ele, colocando a própria vida em risco e me deixando louca apenas com a probabilidade de machucar-se. "Promise me one thing. Never go in without back up again (...) I mean it, like not even to give a parking ticket," e Halstead fez derreter meu coração de shipper depois, é claro, de enfiar uma bala na cabeça do Spencer e tirar Lindsay daquele lugar horrível! Eu adorei como a trama foi desenrolando, principalmente depois do merecido soco na cara da Twany! You go, Erin! 

Ainda sobre o caso, o episódio virou sapucaí pra nossa rainha sambar... Erin é incrível nas cenas de ação, mas principalmente na sensibilidade que transborda em cada olhar e cada diálogo. A cena dela com a garotinha de 14 anos, desde a primeira conversa sobre o estupro até a volta para a casa dela, a fim de dizer que os suspeitos foram capturados foi um primor! Ela conhece o momento de falar e ouvir, sabe como lidar com as vítimas, como ser útil e consolar de maneira ímpar. Aproveito e reitero o clima em cada troca de olhar Linstead e peço encarecidamente por mais cenas deles enquanto casal, por favor, Dick Wolf, ajuda!!! 

Com a liberdade de Eddie, creio que plots grandes e obscuros estão chegando a Chicago. A abertura que lhe foi dada - desde Kim desabafando com ele sobre o casamento a Adam sendo intimidado sobre uma 'futura conversa' - faz parecer que ele irá continuar na série, mas eu também achei cedo demais ele querer sondar sobre os lucros de um informante em menos de 24h longe daquele universo... Abre o olho, Voight! Enquanto Ruzek e Burgess não conseguem interagir por 2 minutos sem discordarem de tudo acerca do seu casamento - que mais parece uma lenda urbana a este ponto -, Platt e Mouch parecem ter unido-se ao clube. "Are we racing Platt and Mouch now?" A bomba foi lançada no Molly's: o pai da Sargento está falido, não arcando com as despesas do casamento dos sonhos da filha - muito menos com a velha garrafa de whisky servida por Herrmann. Acredito que, no fim das contas, Mouch usará o 51 como local do casamento e Platt conseguirá encaixar seu 'livro de casamento' num orçamento que lhe caiba; ao menos os dois estão na 'mesma página' e podem trilhar o próprio caminho. Apostas sobre quem sobe ao altar primeiro?

Você confere promo do próximo capítulo de CPD clicando aqui.

PS.: Ou Herrmann é parente do Wolverine ou ele tem o histórico de recuperação mais rápido da história!
PS¹.: Manda mais crossover que tá pouco!
Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

  1. Erin divando é demais para meu coração! Van obrigada pela review! Eu amei!!!!

    ResponderExcluir