Vinyl 1x02 - Yesterday Once More


Um episódio além do sexo, drogas e rock'n roll.


Se o piloto de Vinyl foi para transparecer toda a loucura do rock nos anos 70, "Yesterday Once More" veio para mergulharmos de cabeça nos personagens. Não foi um episódio tão intenso quanto o primeiro, mas conseguiu ser ainda mais interessante. Esse tipo de desenvolvimento serve para criarmos uma empatia pelos personagens. É uma forma de enxergá-los além daquele universo que os envolve.

Na década de 70, era comum as pessoas descarregarem suas emoções no rock, nas drogas e no sexo. As casas noturnas eram lotadas de pessoas superficialmente extravagantes, mas estar lá, era apenas uma válvula de escape do mundo externo. Essa foi a ideia de Jagger ao pensar em Vinyl. Uma série para mostrar a realidade de uma época tão conturbada e violenta.

Se havia alguma dúvida sobre a insana cena do desmoronamento, Scorsese mostrou para quem ainda não conhece seu trabalho, como é fazer um plot twist. O resultado nesse episódio, foram as cenas hilárias com Richie berrando com os sócios após voltar atrás de sua decisão em vender a empresa aos nazistas. Conturbado, confuso, ferido, mas cheio de vitalidade, Finestra retrata o que é sentir música de verdade. É deixá-la entrar na alma, e vivê-la intensamente.

Apesar de Finestra colocar talvez a única salvação do selo American Century em risco, essa pode ter sido sua decisão mais sensata. É como se ele tivesse tomado um choque de realidade ao vivenciar a potência do rock de New York Dolls. Ao demitir a equipe, e pressioná-los em conseguir um novo talento, Richie deixa claro que deseja mais do que um novo som para tocar nas rádios. As pessoas precisam sentir o rock percorrer seu corpo, da mesma forma que ele sentiu.

A decisão pode não ter agradado todos os sócios, inclusive rende um soco de Richie em Zak Yancovich (Ray Romano), mas esse foi apenas um pontapé para conhecermos um pouco mais desse personagem. Ter dinheiro nem sempre é sinônimo de felicidade, é o que Zak transmite no episódio. Ao perceber que sua família pensa apenas em sugá-lo, conseguimos notar um cara infeliz com a própria vida e repleto de dúvidas sobre suas escolhas.

Outro destaque - talvez o maior- foi a esposa de Richie. Devon já havia brilhado um pouco no piloto, mas "Yesterday Once More" foi quase inteiro feito sobre ela. Em flashbacks, exploramos seu passado e como ela conheceu Finestra. Incluir a figura de Andy Warhol (cineasta, pintor e reconhecido pelo movimento pop art nas décadas de 60 e 70) na série, encaixou-se perfeitamente. John Cameron Mitchell merece todos os créditos por dar vida e conseguir transmitir um pouco da personalidade do artista.

Através da fotografia, Devon cria um vínculo com Andy. A partir disso, podemos sentir a angústia da personagem por ter abandonado o que amava para se dedicar à família. Acredito que sua maior frustração foi ver o marido extravasar, enquanto ela vive apenas de lembranças. Além disso, ela precisa aguentar ser rejeitada por Richie. Embora, o início do relacionamento entre eles tenha sido marcado por muita paixão e vigor, ela não encontra mais isso no casamento.

Apesar de não ter focado muito em Kip Stevens, acredito que ele será mais desenvolvido em outros episódios. Afinal, a banda Nasty Bits não tem muita personalidade, e é algo que precisa ser trabalhado. Inclusive por ser uma época que definiu nomes de presença e com características tão excêntricas.

Em seu segundo episódio, a série já demonstra seguir um rumo mais aprofundado e mantém sua essência. Além do arco central, Vinyl promete explorar a realidade de uma época tão conturbada em vários plots. O nome do episódio "Yesterday Once More" não foi escolhido sem objetivo algum, é uma música da banda The Carpenters. A canção fala sobre recordar um tempo feliz, e além de se encaixar para Devon, é a música que embala enquanto ela dirige com a amiga, Karen.

♫ Quem assistiu Mad Men, pode identificar alguns elementos semelhantes em Vinyl. Fatos históricos, a fotografia e os personagens complexos são alguns exemplos.
 Curiosamente Andy Warhol dirigiu um filme experimental intitulado por Vinyl. O enredo foi adaptado do livro, Laranja Mecânica de Anthony Burgess.
♫ Nunca irei cansar de elogiar a trilha sonora dessa série.
♫ Apesar da versão original de Yesterday Once More ser da banda The Carpenters, ao tocar no shazam, mostra que a versão da série é um cover de Aimee Mann.
♫ O desabamento de Mercer Arts Center foi real e aconteceu enquanto uma banda ensaiava no local.
Share on Google Plus

About Caroline Lustoza Boos

Cinéfila assumida. Apesar de colecionar séries, One Tree Hill ocupa maior parte do seu coração. Apaixonada por todos os filme de Alfred Hitchcock. Consumista por séries, filmes,livros, bonecos e afins. Sonha em rodar o mundo. É mãe de 3 gatos, porém, se pudesse teria muito mais. É reservada, mas quando faz uma amizade de verdade, leva para a vida inteira. (instagram/snapchat: @cahlboos)
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário